Amadurecer Exige Perseverança!

“Quem tem uma batalha mais difícil do que aquele que se esforça para vencer a si mesmo?”

Tomás de Kempis


O caminho para o aperfeiçoamento humano-espiritual é marcado por várias batalhas que precisam ser travadas a fim de alcançarmos um nível de amadurecimento que reflita coerência entre o que acreditamos, pensamos e fazemos. Portanto, trata-se de um caminho, no qual múltiplas dimensões de nossa vida são impactadas.


Claro, o caminho é percorrido por um passo de cada vez, também há tropeços e quedas, todavia jamais se pode perder o horizonte a ser alcançado. Afinal, Deus está conosco no caminho, insiste com cada um de nós e sempre nos indica a direção em que precisamos apontar nossos pés e seguir adiante. Queridos e queridas, há algo que jamais pode ser esquecido, o amor de Jesus por nós é constante e de mesma intensidade independente da situação em que estamos, o nosso desafio é corresponder a esse amor deixando-se ser amado e amada, e viver como portadores desse amor.

Nesse sentido, a vida cristã exige que vivamos um processo de metanoia - mudança essencial de pensamento e caráter, pois nossa transformação se inicia de dentro para fora. Jesus já nos ensina que é do coração do homem que procedem tudo que pode nos corromper (Marcos 7, 21 / Mateus 15, 19). Portanto, não é possível que sejamos portadores do amor se permitimos que nosso interior, coração e mente, seja entulhado de tantas realidades que não favorecem nosso caminho de amadurecimento humano-espiritual.

Irmãos e irmãs, todos(as) nós estamos nessa vida trilhando um caminho único que Deus nos oferece, e cada pessoa vive seu próprio processo de conversão, todavia nesse tempo litúrgico da Quaresma precisamos olhar para nossa história e identificar o quanto temos crescido e como Deus tem nos amparado. Também precisamos refletir sobre nossa condição anterior que muitas vezes foi marcada pelo sofrimento e os males contemporâneos, tais como: violência, dependência química, ansiedade, depressão, sexualidade desregrada, entre outros. Assim, precisamos olhar para o horizonte e nos decidirmos mais uma vez por Jesus para alcançar a plenitude de viver os propósitos que o Senhor já revelou ao nosso coração. Não sejamos como o Faraó do Egito no tempo de Moisés.

Entre os capítulos 7 de 11 do livro Êxodo nos é descrito as pragas que recaem sobre o Egito, devido à insistência do Faraó em manter os israelitas em cativeiro. Destaco apenas um momento dessa narração bíblica, quando o Egito é infestado de rãs e o Faraó aflito com essa situação pede que Moisés reze a Deus para que as rãs voltem para o rio Nilo, em troca deixaria os israelenses partirem. No entanto, após Moisés realizar seu pedido e o Senhor afastar as rãs, o Faraó volta atrás em sua palavra e retém os israelenses sob seu domínio. Quantas vezes nós também agimos assim? Diante de uma dificuldade, de uma angústia, enfermidade, entre outras situações de sofrimento, buscamos a Deus e sua Igreja para que o Senhor nos ajude a sair dessa situação e nos comprometemos em ser diferentes, em tomar atitudes novas, mas ao final escolhemos voltar à conduta anterior, e nos tornarmos escravos de uma vida que julgamos não ser o propósito de Deus, porém é mais cômoda, exige menos comprometimento e agradas muitas pessoas.

Desse modo, ser Faraó é ter poder de decisão soberana, é mandar e desmandar, é escolher aquilo que mais lhe dá prazer, é se entregar aquilo que lhe satisfaz momentaneamente, é permanecer no pecado original e esquecer que existe um Deus que participa da nossa história.

Por outro lado, no cenário apresentado temos o exemplo de Moisés, aquele que escuta a Deus, que busca intimidade com o Senhor, se compadece com os sofrimentos dos irmãos e irmãs, e assim obedece as palavras de Deus para realizar prodígios e libertar seu povo. Caríssimos(as), quero enfatizar a persistência de Moisés em insistir com o Faraó para que os israelitas fossem libertos, e assim acontece.

Desde o encontro com Deus na sarça ardente Moisés não foi mais o mesmo, lutou pela liberdade do povo de Deus e depois os conduziu a terra prometida, mas tenha certeza que as batalhas foram travadas primeiro em seu coração, a conquista da liberdade interior veio primeiro que a libertação dos israelenses e a visão da terra prometida foi experimentada em cada encontro com Deus. Tenha certeza que não foi fácil, mais foi gratificante. Amadurecer exige perseverança!

Rangel Gomes Godinho

Fonte da imagem: Inovativa Brasil. Disponível em: https://www.inovativabrasil.com.br/ (acesso em 24 de março de 2020).

43 visualizações

Paróquia Jesus Bom Pastor,  Rua Porto Alegre, Qd. 27, Lt. 17 - Jardim Guanabara I  CEP: 74675-680 – Goiânia - GO
contato@jesusbompastor.com.br  |  Tel: (62) 3207-1671

CNPJ: 01.569.466/0055-68

Atendimento Secretaria: Seg - Sex: 8am-11pm | 13pm-17pm,​​ Sábado: 8am-11pm

©2020 by Paróquia Jesus Bom Pastor.
Criado por Almir Dias